sábado, 7 de março de 2015

NOITES E NOITES

Nasce uma biografia! Começam enfim as entrevistas que darão na história de Betinho, jovem homossexual que, vivendo em abrigos até completar dezoito anos, encontrou na prostituição e na pornografia meios de sobreviver, agora um meio de se fazer ouvir... uma pitadinha doq vem pela frente, olhem só. E aguentem a bomba.

...............................................................

"NOITES E NOITES

Pura inocência ou nem sei mais, mas por anos me culpei pelo que vivi na infância. Várias vezes cheguei a dizer a mim mesmo, tentando me convencer disso, que era a minha voz fina ou meus trejeitos, já de gay pequenino mas ainda assim de gay, oq facilitou que tudo acontecesse. Era já pôr-do-sol quase anoitecer, um dia qualquer não fosse esse o dia. Eu estava dormindo quando algo mexeu no meu rosto e me acordou, ele bem maior do que eu, cueca abaixada, a coisa esfregando em minha boca. Grosso, imenso, a espessura era maior que a do meu braço, o comprimento, bem, eu mal via as bolas. Fiquei quieto, não gritei nem reagi. Não era algo consentido ou desejado (oq é desejo ou consentimento num momento desses?), mas eu estava em êxtase ali.

À medida que introduzia em minha boca eu sentia a coisa babar, babando cada vez mais dura, eu gostando mas congelado de medo, sem dar um pio, sem me mover a não ser meu pipi, também ereto, cutucando durinho o cobertor quase como se quisesse furar a cueca. A noite seguia adentro e a coisa cada vez mais dentro da minha boca, cada vez mais fundo. Claro que não cabia inteira, mas não foi por falta de tentar, até que senti algo jorrando quente na garganta, nunca tinha sentido algo assim antes, gosto agridoce, cheiro de cândida, não sei definir bem, mas espesso e em quantidade. Engasguei e me levantei em seguida, fazendo de conta que estava acordando justo naquele momento... ele só me olhou e disse "você gosta ein, putinha!"

Pior que eu estava gostando, embora não fizesse ideia doq fosse aquilo, não sabia sequer que era um ato sexual. Engoli por não saber oq fazer e não gozei pois nem sabia que era possível, história essa que não causaria estranheza a ninguém se na ocasião eu não tivesse apenas seis anos. Descobri só mais tarde que aquilo era ejaculação (e a minha própria, a primeira, só veio mesmo alguns bons anos depois), mas tive ali a primeira experiência no assunto, a minha primeira relação se assim posso chamar, coisa que se repetiria ainda tantas e tantas noites, eu querendo às vezes, às vezes não, mas depois te conto...

Betinho"

Nenhum comentário:

Postar um comentário